31.08.2018 | 07h16

Vem aí o salve-se quem puder

Com o início da propaganda eleitoral de rádio e TV, começa a guerra declarada entre os candidatos, que vão se engalfinhar por uma vaga no segundo turno. Na coluna desta sexta-feira no Estadão, Eliane Cantanhêde analisa a munição de que cada um disporá e avisa que a coisa será encarniçada. “A propaganda eleitoral, portanto, começa em clima de guerra e sem limites. Salve-se quem puder! E salve-se a democracia!”, escreve.


VOLTAR PARA O ESTADÃO