24.11.2018 | 20h47

Vélez defende ‘respeito à criança’

O presidente eleito, Jair Bolsonaro disse neste sábado, 24, que a indicação de Ricardo Vélez Rodriguez para o Ministério da Educação não se deu por causa da pressão exercida pela bancada evangélica contra Mozart Ramos, do Instituto Ayrton Senna, que era cotado para a Pasta, apesar de reconhecer que o futuro ministro agrada aos líderes do grupo.

“Pelo que eu sei, (ele) não é evangélico. Mas atende aquilo que a bancada evangélica defende, os princípios, valores familiares e respeito à criança”, afirmou Bolsonaro, segundo a Folha, após participar de cerimônia na Brigada de Infantaria Paraquedista, no Rio. / J.F.


VOLTAR PARA O ESTADÃO