23.11.2018 | 14h30

‘Valores históricos’ em propina

A Operação Lava Jato afirma que as empreiteiras OAS e a Odebrecht pagaram propina de R$ 68.295.866,00 ao PT e a ex-dirigentes da Petrobrás e da Petros no esquema de corrupção ligado à construção da Torre Pituba, a sede da estatal na Bahia. A construção da torre é alvo da Operação Sem Fundos, 56ª fase da Lava Jato, deflagrada nesta sexta-feira, 23.

O Ministério Público Federal aponta que os “valores históricos” representam quase 10% do valor da obra. O fundo de pensão teria se comprometido a realizar a obra e a Petrobrás, a alugar o edifício por 30 anos, informou o Estadão.


VOLTAR PARA O ESTADÃO