13.02.2019 | 15h41

Vale estimou mortes, custos e possíveis causas de colapso

Um documento interno da Vale estimou em outubro de 2018 quanto custaria (US$ 1,5 bilhão (cerca de R$ 5,6 bilhões), quantas pessoas morreriam (mais de cem) e quais as possíveis causas de um eventual colapso da barragem de Brumadinho (erosão interna ou liquefação). Três meses depois, a barragem se rompeu e deixou, até agora, ao menos 165 mortos.

O relatório é usado pelo Ministério Público de Minas Gerais em ação civil pública em que pede a adoção de medidas imediatas para evitar novos desastres. Procurada pela Folha, a Vale afirmou em nota que “os estudos de risco e demais documentos elaborados por técnicos consideram, necessariamente, cenários hipotéticos para danos e perdas”.


VOLTAR PARA O ESTADÃO