07.11.2018 | 16h09

Urgência da reforma ministerial

O governo do presidente Michel Temer poderá antecipar a medida provisória que altera a divisão dos ministérios no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro como forma de evitar que o Congresso Nacional acabe aprovando um Orçamento “fictício” para 2019, informa o Estadão.

Sem o ajuste no Orçamento à nova estrutura proposta por Bolsonaro, não será possível fazer a dotação de recursos para tais novas áreas. Isso porque o Congresso precisará aprovar até dezembro o Orçamento de 2019 conforme a estrutura atual – que engloba 23 ministérios e outras seis secretarias ou órgãos com esse mesmo status.


Mais conteúdo sobre:

OrçamentoMichel TemerJair Bolsonaro
VOLTAR PARA O ESTADÃO