05.04.2018 | 06h31

Um STF e duas visões de direito

O resumo do longo e dividido julgamento do habeas corpus de Lula, segundo um procurador da República que assistiu atentatmente a tudo, é um Supremo profundamente dividido entre duas visões excludentes do direito.

Um lado, que tem Celso de Mello como representante maior, tradicional, da letra fria da lei e que manda “às favas” os fatos. O outro, simbolizado por Luis Barroso, que prega o pragmatismo e o ativismo judiciais. Há um grupo que oscila entre uma e outra visão, a depender do caso. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO