03.11.2018 | 13h36

Um Senado indefinido

Se na Câmara, Rodrigo Maia articula com o grupo de apoio de Jair Bolsonaro para continuar no comando da Casa, no Senado o cenário é bem mais incerto. Lá, a disputa está completamente aberta.

Renan Calheiros nega que queira comandar a Casa pela quinta vez. Mas está atento aos movimentos. Simone Tebet (MDB-MS) lidera a bancada de seu partido e pode ser uma opção consensual. O grupo de Bolsonaro quer influir no comando do Senado e pode apoiar o experiente senador eleito Esperidião Amin (PP-SC). Já o grupo de independentes estuda a possibilidade de fechar com Tasso Jereissati (PSDB-CE) ou com Jarbas Vasconcelos (MDB-PE). /M.M.


Mais conteúdo sobre:

senado
VOLTAR PARA O ESTADÃO