05.07.2018 | 06h54

Um eleitorado pró-ruptura?

Analistas internacionais que se dispõem a explicar a política brasileira para investidores constatam que as demandas do eleitorado aqui não são muito diferentes que as expressadas em eleições recentes nos Estados Unidos, na França e, por último no México. Em sua coluna no Estadão, William Waack observa que, no caso brasileiro, ainda existe dúvida “se o segundo turno terá ‘reformistas’ (identificados como velhos) em disputa contra candidatos do ‘rompimento’ ou se ‘rompedores’ se enfrentarão entre si”


VOLTAR PARA O ESTADÃO