02.10.2018 | 13h23

Um dia para Haddad esquecer

Ganhando ou perdendo a eleição, Fernando Haddad provavelmente jamais esquecerá da segunda-feira, 1º de outubro de 2018. Quem acreditava que, depois de seu desempenho pífio no debate da TV Record, no domingo, 30, as coisas não poderiam piorar para ele, foi surpreendido por uma enxurrada de más notícias no day after.

Primeiro, Haddad teve de lidar com a repercussão negativa das falas do companheiro Zé Dirceu, que defendeu o fim do poder de investigação do Ministério Público e a redução dos poderes do STF. Depois, foi confrontado com a divulgação de trechos da delação do ex-ministro Antonio Palocci, que comprometem ainda mais Lula e PT em escândalos de corrupção. À noite, recebeu os resultados da pesquisa Ibope, mostrando um salto em sua taxa de rejeição e a sua estagnação nas intenções de voto. Por fim, para fechar o dia que parecia não terminar, Haddad ainda ficou sabendo que Dias Toffoli, presidente do STF, havia confirmado a liminar do ministro Luiz Fux, proibindo entrevistas de Lula na prisão. Ufa! Que dia, hein! / José Fucs


VOLTAR PARA O ESTADÃO