19.02.2019 | 11h48

‘Um ciclo interminável de corrupção’

A PF cumpriu 12 mandados de busca e apreensão e um de prisão na 60.ª fase da Operação Lava Jato, chamada de Ad Infinitum. O ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza foi preso nesta terça-feira, 19, ele é visto como um dos operadores do PSDB. Segundo o procurador da República Roberson Pozzobon, Paulo Vieira participou de lavagem de mais de R$ 100 milhões.

De acordo com o delegado da PF, Alessandro Vieira, Paulo Preto deveria seguir para Curitiba ainda hoje, mas ficou em São Paulo porque tem “compromissos judiciais” na cidade relativos a outros processos. “São pessoas investigadas e que respondem a outros processos criminais. Temos a sensação de que estamos diante de um ciclo interminável de corrupção e lavagem de dinheiro”, afirmou.


VOLTAR PARA O ESTADÃO