13.02.2019 | 11h32

Toffoli e o almoço da paz do STF

No dia seguinte em que costurou uma espécie de pacto com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o presidente do Supremo, Dias Toffoli, se dedica nesta quarta-feira a uma tarefa talvez mais difícil: pacificar a própria corte que preside. Antes da sessão, que promete ser polêmica, de retomada da discussão das ações que tratam da criminalização da homofobia, ele reúne os demais ministros da corte em um almoço para tentar serenar os ânimos e aparar arestas de recentes brigas internas.

O almoço será no próprio gabinete da presidência. Há ministros que observem que é difícil falar em integração quando o próprio Toffoli susta decisões de colegas de forma monocrática, como ocorreu recentemente no caso da liminar concedida por Marco Aurélio aos presos após condenação em segunda instância ou no caso da eleição aberta para a presidência do Senado. Resta saber se haverá espaço no almoço para a lavação de roupa suja ou se a diplomacia vai prevalecer. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO