25.10.2018 | 12h21

Terceiro setor em alerta

Diante da previsão de que o “ativismo” pode ser sufocado em um eventual governo de Jair Bolsonaro, representantes do terceiro setor se preparam para o pior, mostra o Valor. O Greenpeace, por exemplo, acredita que o candidato poderia impôr medidas restritivas no limite da cassação de registros de algumas entidades.

A Conectas, que trabalha em defesa dos direitos humanos, lembra que “não há democracia sem sociedade civil”. O Instituto de Defesa do Direito de Defesa também vê a “faxina” proposta pelo candidato com apreensão. “O Brasil é o país com maior número de mortes de defensores de direitos humanos e de defensores que atuam no campo ambiental”, diz Marina Dias, a advogada da entidade.


VOLTAR PARA O ESTADÃO