23.11.2018 | 16h43

Temer fala da paixão que ‘feneceu’

No início de 2017, o presidente Michel Temer escreveu num guardanapo um poema chamado “Semente”, publicado na atual edição da revista Época, sobre um amor não correspondido. Ele tem publicada a coletânea de versos “Anônima intimidade”, de 2012. Veja trecho da atual produção abaixo:

Essa planta
assim nascida
tinha nome: paixão.
E não prosperou
porque o objeto desse a mor
não tinha a mesma
sensação.
Sem a correspondência
a planta feneceu.


Mais conteúdo sobre:

Michel Temer
VOLTAR PARA O ESTADÃO