11.08.2018 | 11h22

‘Suspense’ na eleição brasileira

A revista The Economist se debruça sobre as eleições brasileiras em sua mais recente edição para apontar a imprevisibilidade do quadro. A publicação afirma que se as eleições fossem uma novela, o final seria imprevisível, dados o grupo “heterogêneo” de candidatos e um eleitorado desapontado.

A desilusão torna os eleitores imprevisíveis. Eles optarão por um dos candidatos ao establishment, que detém as vantagens habituais de apoio de partidos fortes e a maior parte do tempo de publicidade? Ou eles vão escolher um dos radicais, que devem divulgar sua mensagem principalmente através da mídia social?”, questiona a reportagem.


VOLTAR PARA O ESTADÃO