01.03.2019 | 19h34

Subordinação de chanceler aos EUA não tem ‘nenhum limite’

Autor do livro “A diplomacia na construção do Brasil (1750-2016)”, o embaixador aposentado Rubens Ricupero, estudioso da política externa brasileira, afirma que já é possível percebem que o Itamaraty sob o comando do chanceler Ernesto Araújo terá como regra a subordinação a Washington.

“Fica-se com a impressão de que, na relação com os Estados Unidos, o céu é o limite ou, mais apropriadamente, que não existe nessa relação nenhum limite, nem o da decência, nem o da soberania ou do patriotismo”, afirmou o embaixador. As declarações foram colhidas pela revista Época durante palestra promovida pelo Centro Brasileiro de Relações Internacionais, no Rio de Janeiro, na última terça-feira.


VOLTAR PARA O ESTADÃO