04.07.2018 | 15h10

STF como espinho na garganta

No centro do debate político atual a partir das decisões da Segunda Turma, o Supremo se converteu no espinho na garganta de procuradores, magistratura, presidenciável que planeja ampliar seu número de integrantes e, agora, do Legislativo quando aumenta pressão por limitação de mandato.


A senadora Ana Amélia (PP-RS), por exemplo, fez discurso na tribuna da Casa, na terça, 3, em defesa da PEC que modifica o sistema de escolha dos ministros e restringe o mandato para 10 anos, além de inelegibilidade por cinco anos após o término da gestão.

 

VOLTAR PARA O ESTADÃO