02.10.2018 | 08h36

Só matemática?

“A escolha fundamental da era moderna – a eleição -, em que a sociedade pode conhecer as qualidades de quem deva governar, virou no Brasil um tacanho jogo de probabilidades matemáticas”, escreveu Flávio Tavares no Estadão.

O colunista critica a avalanche de pesquisa de intenção de voto que se apresentam a cada semana, diz que são apenas probabilidades matemáticas e as compara com as apostas que se fazem no Jockey Clube.


VOLTAR PARA O ESTADÃO