28.04.2019 | 09h41

Simples não pode ser simplório

Ministros e aliados de Jair Bolsonaro costumam ser unânimes ao descrevê-lo: o presidente seria uma pessoa “muito simples”. A partir disso, Eliane Cantanhêde diz, em sua coluna no Estadão neste domingo, que simplicidade é uma qualidade dúbia para um presidente da República. “Uma pessoa simples, ainda mais se rica, poderosa e sofisticada intelectualmente, é o máximo. Um líder simples, que tem pouca informação, é ingênuo nas relações com as pessoas e tem baixa compreensão de questões complexas é “simplesmente” preocupante. Fica ao sabor de miudezas e intrigas internas, sem entender o todo ao seu redor”, escreve ela, e enumera controvérsias provocadas pelo jeitão “simples” de Bolsonaro, que, alerta, não pode ser sinônimo para simplório.


VOLTAR PARA O ESTADÃO