11.06.2019 | 08h28

Silêncio eloquente de Bolsonaro

O silêncio de Jair Bolsonaro nas primeiras horas que sucederam a revelação dos diálogos entre Sergio Moro e Deltan Dallagnol foi eloquente, escreve Igor Gielow em análise para a Folha. Para ele, “o ex-juiz e atual ministro da Justiça não terá apoio irrestrito fora das redes sociais nesta crise”. Da mesma forma, ele observa que Rodrigo Maia deixa correr a articulação para uma CPI para investigar o comportamento do ex-juiz.

Uma única frase que expressa a confiança de Bolsonaro no auxiliar foi dada pelo secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, e veiculada na edição de segunda-feira do Jornal Nacional. Segundo ele, Bolsonaro confia plenamente em Moro. O porta-voz, Octávio do Rêgo Barros, que normalmente se encarrega de pronunciamentos oficiais em questões assim delicadas, nada falou no primeiro dia após a divulgação das conversas.


VOLTAR PARA O ESTADÃO