25.05.2018 | 12h17

Setor de transporte de cargas x Petrobrás

As cooperativas e empresas de transporte de carga respondem por mais de 60% dos caminhões que circulam no Brasil. Portanto, o movimento que parou o País e que continua a despeito da trégua acordada com o governo é uma queda de braço entre esse setor e a Petrobrás, analisa Raquel Landim, em sua coluna na Folha.

“A situação dos caminhoneiros é certamente delicada, mas não difere muito de outros segmentos de uma economia ainda em crise. Sem margem de negociação com o cliente, o setor não pode usar os cidadãos brasileiros […] como reféns para vencer a queda de braço com o fornecedor. E, principalmente, o governo não deve permitir que isso aconteça.”


VOLTAR PARA O ESTADÃO