09.11.2018 | 11h14

Servidores usam redes do MTb contra fusão

Os servidores do Ministério do Trabalho parecem ter perdido todo o pudor para expressar sua oposição à proposta do presidente eleito, Jair Bolsonaro, de promover a fusão do órgão com outro ministério. Além de divulgar uma carta “oficial” contra a fusão sem assinatura de seu (s) autor (es), agora estão usando as próprias redes sociais do MTb para protestar contra a medida, como se as atribuições do ministério fossem deixar de existir.


Por meio de diversas publicações no Twitter do ministério, acompanhadas pela hashtag #FicaTrabalho, o pessoal está divulgando vídeos com protestos de funcionários e até mensagens exaltando as atribuições do órgão, para justificar sua existência autônoma. Ao manifestarem seu descontentamento por meio de “abraços” ao ministério e outros atos de protesto, os servidores estão exercendo seu livre direito de expressão. Mas, quando a contestação usa de meios de comunicação e ativos do Estado em favor da “causa”, as coisas descambam para o campo da ilegalidade — e, para isso, as autoridades não podem fazer vistas grossas. / José Fucs

VOLTAR PARA O ESTADÃO