06.07.2018 | 07h44

Serviços públicos, negócios privados

As investigações da operação Registro Espúrio sobre a concessão de licenças para sindicatos mostra como serviços públicos eram tratados como negócios privados no Ministério do Trabalho. “A criação de entidades de trabalhadores era um negócio lucrativo até o ano passado, quando foi extinto o imposto sindical obrigatório. As associações, entretanto, continuam a ter peso político, já que pertencem à base social de partidos e turbinam a mobilização de eleitores”, escreve Bruno Boghossian em sua coluna na Folha.


VOLTAR PARA O ESTADÃO