26.02.2019 | 19h31

Senado aprova Roberto Campos Neto no BC

Enquanto a internet debatia de forma polvorosa o hino nacional nas escolas, o indicado para a presidência do Banco Central, Roberto Campos Neto, passava sem maiores problemas tanto pela sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos quanto pela votação no plenário do Senado. Após cinco horas de entrevista, todos os 26 senadores presentes na CAE aprovaram a indicação dele. No plenário, Campos Neto teve 55 votos a favor e 6 contra.

Dentre os temas abordados, Campos Neto defendeu a independência do BC como forma de abaixar os juros sem mexer na inflação. “A autonomia é importante porque, toda vez que existe um risco em qualquer atividade, a pessoa coloca no preço aquele risco. Portanto, se existir um risco de o Banco Central não seguir sua missão, que é controlar preços e dar estabilidade ao sistema financeiro, quem está olhando de fora vai colocar no preço a probabilidade de haver uma ruptura. Numa linguagem popular, a autonomia vai permitir que, com a mesma inflação, o juro seja mais baixo, pois o componente de risco vai ser removido”, disse.


Mais conteúdo sobre:

Carlos SampaioBanco Centralsenado
VOLTAR PARA O ESTADÃO