09.11.2018 | 06h32

Sem ‘revanchismo’ no BNDES

O atual ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse que não deve haver propósito de “perseguição” ou “revanchismo” na ideia do futuro governo de abrir o sigilo das operações de financiamento do BNDES feitas nas gestões petistas. Jair Bolsonaro tem insistido no tema. No Twitter, firmou o “compromisso” de “abrir a caixa preta” do BNDES.

“Para quem está entrando, em qualquer área de governo: deixe os órgãos de controle funcionar”, recomendou. “Foram feitas coisas erradas no passado e as pessoas já estão respondendo na Justiça”, disse Guardia em Londres.


VOLTAR PARA O ESTADÃO