14.02.2019 | 13h27

Sem diligências, procurador?

O procurador carioca, Sidney Madruga, tentou encerrar uma investigação sobre suposta falsidade ideológica praticada pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) ao declarar seus bens à Justiça Eleitoral sem realizar nenhuma diligência. O arquivamento pedido por Madruga foi vetado pela 2ª Câmara Criminal de Revisão do MPF, que determinou uma avaliação mais rigorosa do caso.

Na ocasião, a Procuradoria Regional Eleitoral do Rio de Janeiro afirmou que Madruga entendeu que não havia crime eleitoral “com base na jurisprudência consolidada há anos no TSE”. O senador disse, em nota, que “no âmbito estadual ela foi arquivada e, com absoluta certeza, também terá o mesmo destino no âmbito federal”, informou a Folha.


VOLTAR PARA O ESTADÃO