15.02.2019 | 13h59

Sem consenso no PSL

Não há consenso entre parlamentares do PSL na Câmara sobre o caso do ministro que pode “voltar às suas origens”, Gustavo Bebbiano, que presidiu interinamente a sigla até 29 de outubro do ano passado. Uns temem pela a abertura da caixa-preta, outros preferem sua demissão, mas desde que se aspire junto o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, informa o Valor nesta sexta. Quem preside o partido hoje é Luciano Bivar (PE), que gastou R$ 250 mil  provenientes do fundo eleitoral para contratar a empresa de um dos seus filhos durante a eleição de 2018, como revelou hoje o Estadão.


VOLTAR PARA O ESTADÃO