29.04.2018 | 09h35

‘Se pedir propina, vamos denunciar’

A política na Camargo Corrêa Infra, braço da empresa criado para o pós-Lava Jato, é: não peça propina, senão vamos denunciá-lo.

É o que diz o novo presidente da empresa, Décio Amaral, em entrevista à Folha. “Somos radioativos, não peça propina”, afirma. Ele fala da mudança radical de filosofia, que chama de tolerância zero, e explica como ela é implementada, influindo inclusive na concessão de bônus a executivos e funcionários.


VOLTAR PARA O ESTADÃO