04.09.2018 | 07h48

‘Rio escancara nossas feridas’

O Rio já foi o centro da política nacional e já ditou tendências na moda e na cultura, mas hoje ele é o símbolo dos problemas nacionais. É o que escreve a economista Ana Carla Abrão em sua coluna no Estadão nesta terça, na esteira do incêndio que destruiu o Museu Nacional. “Foram gestões irresponsáveis e populistas, uma após a outra, embriagadas na ilusão do petróleo, que hipotecaram o futuro para garantir a alegria do presente. Elas rifaram o Rio, apostando na exuberância e na arrogância dos que vivem sem limites. O fim desse caminho sem culpa não poderia ser diferente: o desequilíbrio fiscal e a falência do Estado recaindo sem piedade sobre uma população sofrida e desesperançada.”


VOLTAR PARA O ESTADÃO