03.01.2019 | 17h30

Resposta de Bolsonaro aos LGBT?

Em meio a críticas após a divulgação da nova configuração das diretrizes de Direitos Humanos, o presidente Jair Bolsonaro foi ao Twitter tentar colocar panos quentes na situação. Ele disse que “não haverá abandono de auxílio a qualquer indivíduo nas diretrizes dos direitos humanos”, mesmo após ele assinar a retirada da população LGBT da estrutura do novo Ministério das Mulheres, Família e Direitos Humanos. “A Secretaria Nacional da Família, Secretaria Nacional de Proteção Global e o Conselho Nacional de Combate à Discriminação ficarão responsáveis por este papel”, disse.


Antes, gays, lésbicas e transexuais eram contemplados dentro da estrutura do então Ministério dos Direitos Humanos. Na reconfiguração da pasta, não há secretaria própria para os LGBT, ao contrário do que acontece para crianças e adolescentes, mulheres e pessoas com deficiência, por exemplo. “A mudança visa libertá-los da escravidão política a fim de devolvê-los o direito de representarem a si mesmos”, disse Bolsonaro, sem citar a população LGBT.

VOLTAR PARA O ESTADÃO