11.01.2019 | 07h57

Renan a Bolsonaro: Me chama que eu vou

Nos anos 1980, fez sucesso uma lambada de Sidney Magal, da abertura da novela Rainha da Sucata, cujo refrão dizia “me chama que eu vou”. Renan Calheiros reviveu o hit do passado nesta sexta-feira em entrevista ao Globo ao dizer, sem esconder a ansiedade, que na hora que Jair Bolsonaro chamá-lo para conversar ele –que defendeu Lula com unhas e dentes na eleição– irá. “Converso com ele (Bolsonaro) qualquer hora que for convidado. Jamais se pode ser presidente de um Poder sem conversar com o presidente da República. Isso é elementar. A hora que ele me chamar, eu vou”, afirmou.

Ele ainda fez uma distinção bizarra entre o “velho Renan” e o “novo Renan”. No caso, os dois são ele mesmo, só que o que encerra o mandato agora e o que inicia um novo. “Não estou dando entrevista”,  disse ele, enquanto dava uma… entrevista, “porque as pessoas querem perguntar ao velho Renan o que o novo senador Renan, que será empossado no dia 1º, vai fazer. E o velho está se sentindo sem legitimidade para responder”./ V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO