30.11.2018 | 08h48

Religião na política

“A forte presença religiosa no governo Bolsonaro estimula a abertura de um diálogo entre política e religião, na verdade, uma tentativa de examinar esse constante intercâmbio de duas dimensões diferentes de abordagem de nossos problemas”, escreveu Fernando Gabeira no Estadão.

O colunista questiona a fidelidade de Bolsonaro aos evangélicos e comenta sobre a aproximação religiosa que vai existir no próximo governo, perceptível, inclusive, na escolha de alguns ministros. Nesse sentido, Gabeira afirma que o melhor caminho para que não existam dúvidas e contradições sobre a abordagem desses ministros, é que eles, assim como fez Sergio Moro, se manifestem por meio de entrevistas coletivas.


VOLTAR PARA O ESTADÃO