02.07.2018 | 12h42

Reformistas com menos chances

A probabilidade de um candidato reformista chegar ao segundo turno das eleições presidenciais deste ano caiu após a greve dos caminhoneiros, opina o estrategista do UBS Wealth Management, Ronaldo Patah em entrevista a Angela Bittencourt, do Valor.

O especialista avalia que a ‘melhora na economia’ seria o fator mais favorável para um candidato com propostas de reformas, mas, entre outros fatores, a última pesquisa Datafolha mostrou que 72% dos entrevistados dizem que a situação econômica do País piorou nos últimos meses.


VOLTAR PARA O ESTADÃO