11.04.2018 | 08h57

Reformas: só com compromisso na eleição

Reformas não serão aprovadas por quem não as defender na eleição. Este é o alerta que Alexandre Schwartsman faz em sua coluna na Folha: não adianta esperar que a situação fiscal melhore por osmose ou que candidatos omitam o tema na campanha mas implementem as reformas uma vez eleitos.

“À luz da história recente, a crença de que um governo pode se eleger omitindo o que pretende fazer para, uma vez no poder, aprovar medidas complexas e impopulares me parece um claro caso de esperança ilusória (wishful thinking)”, afirma.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO