14.03.2019 | 13h29

Reforma só terá relator na CCJ depois de envio de proposta dos militares

Eleito presidente da Comissão de Constituição e Justiça, o deputado Felipe Francischini (PSL-PR) anunciou que só vai escolher um relator para a reforma da Previdência depois que o governo enviar ao Congresso a proposta de mudanças para os militares. A decisão é respaldada pelos líderes partidários que já avisaram que só avançarão na discussão previdenciária se os militares também forem incluídos na reformulação do sistema.

Como a CCJ não discute o mérito da proposta, mas apenas sua admissibilidade constitucional, o relatório da reforma não terá dificuldade em tramitar. Mas o gesto anunciado por Francischini  mostra que os deputados não estão dispostos a se expor politicamente com a votação da reforma se ela não alcançar todas as categorias. E os deputados desconfiam que a presença de muitos militares no governo pode acabar garantindo um tratamento especial para eles na questão da Previdência. Por isso, querem aguardar o envio da proposta dos militares para terem segurança. /M.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO