03.05.2019 | 16h23

Rede vai ao STF contra corte nas universidades

Em resposta aos cortes orçamentários nas universidades anunciado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, a Rede entrou com uma ação no STF para reverter a medida. O partido alega que os cortes violam a autonomia universitária, além de representarem um mecanismo “insidioso para patrulha ideológica”. De acordo com o Broadcast Político, o relator da ação será o ministro Marco Aurélio Mello.

A Rede afirma, ainda, ser contra os supostos “contingenciamentos aleatórios, baseados exclusivamente em preferências político-partidárias dos governos de plantão (…) O Estado brasileiro não é um laboratório experimental de políticos aventureiros”. Os cortes orçamentários foram anunciados por Weintraub, em entrevista ao Estadão, e, segundo o ministro seriam destinados às universidades que tivessem queda em seu desempenho acadêmico e promovessem “balbúrdia”. Essas universidades seriam UnB, a UFBA e a UFF. O ministro foi acusado de utilizar critérios ideológicos em sua decisão. Posteriormente, o MEC afirmou que o contingenciamento se entende a todas as universidades federais.


VOLTAR PARA O ESTADÃO