15.11.2018 | 09h02

Reconhecimento, não protagonismo

As Forças Armadas querem reconhecimento, não protagonismo. Essas são as linhas gerais de entrevista do futuro ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, à Folha. “As Forças Armadas estão vacinadas em relação à política. Estamos muito vocacionados para nossa atividade-fim, que é cumprir o artigo 142”, disse, se referindo à defesa da Pátria, garantia dos poderes constitucionais e da lei e da ordem.

Disse que Jair Bolsonaro chegou à Presidência “legitimado pelo voto, não pela origem” militar.


VOLTAR PARA O ESTADÃO