14.03.2019 | 08h08

Realidade importada dos EUA

É preciso debater a hipótese de que, importando dos Estados Unidos o discurso de defesa das armas, estejamos importando também a ocorrência maior dos chamados crimes aleatórios, que se dão sem alvos definidos e em lugares públicos, escreve Pedro Doria em sua coluna no Globo. Ele mostra que esse tipo de crime é da cultura norte-americana, com um histórico documentado pelo menos desde o século 19, mas não era da brasileira. “Não é possível afirmar que Campinas e Suzano sejam consequência de um presidente cuja principal marca seja o armamentismo. Mas a hipótese grita”, escreve.


VOLTAR PARA O ESTADÃO