10.01.2019 | 19h28

Raquel quer investigar Temer e Moreira

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu a abertura de uma investigação conjunta sobre o ex-presidente Michel Temer e os ex-ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha pelo suposto recebimento de R$ 14 milhões em vantagens indevidas da Odebrecht. A manifestação da PGR foi enviada nesta quinta-feira, 10, ao Supremo, segundo informações do site da procuradoria. Eles são investigados no inquérito aberto a partir da delação premiada de executivos da empreiteira.

Em novembro do ano passado, um agravo regimental interposto pela defesa de Moreira Franco suspendeu temporariamente o trâmite dos autos em relação a Temer até o término do mandato de presidente. Agora, Dodge argumenta que “não há mais qualquer utilidade prática no agravo interposto pelo investigado, uma vez que o mandato presidencial de Michel Temer se encerrou em 1º de janeiro de 2019” e que o inquérito só foi desmembrado pelo ministro Edson Fachin devido a imunidade presidencial do emedebista.


VOLTAR PARA O ESTADÃO