27.03.2019 | 16h18

Questionado sobre golpe, Maia diz ser ‘filho de exilado’

Num movimento revisionista, o governo federal autorizou comemorações no Ministério da Defesa do golpe militar de 31 de março de 1964 que depôs o presidente eleito democraticamente João Goulart. A iniciativa provocou críticas da oposição e elogios de aliados do presidente da República, além da forte reação contrária do Ministério Público Federal.

Nesta quarta, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi questionado pelo blog da jornalista Andreia Sadi se concordava ou não com as comemorações. “Sou filho de exilado político (César Maia, que se exilou no Chile durante a ditadura brasileira)”, limitou-se a dizer.


Mais conteúdo sobre:

Rodrigo Maia Ditadura golpe
VOLTAR PARA O ESTADÃO