14.11.2018 | 07h48

Quando o acessório rouba a pauta

Uma das maiores armadilhas do governo Jair Bolsonaro, já é possível constatar, será o risco de que discussões acessórias do ponto de vista das necessidades do País se sobreponham às essenciais.

Na Educação, o debate em torno do projeto Escola sem Partido é um exemplo \desse risco. São muitos e complexos os desafios para melhorar os indicadores educacionais no Brasil. E eles em nada têm a ver com a discussão obscurantista proposta pelo tal projeto, que mobiliza o Congresso há algumas semanas e deve continuar na pauta em muito pelo fato de ter sido abraçado como bandeira de campanha pelo bolsonarismo. Discuto sobre isso na coluna de hoje no Estadão. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO