02.10.2018 | 09h40

Qual será o teto?

“Em tela as rejeições de ambos: Bolsonaro mantém sua rejeição em torno 44% e, surpreende, no caso do petista que saiu de 27% para 38% de rejeição, isto é, tornou-se mais conhecido e, ao mesmo tempo, mais rejeitado como candidato do PT e de Lula”, escreveu Rodrigo Augusto Prando no Estadão.

Prando analisa a última pesquisa Ibope divulgada diz que é pouco provável, exceto por um fato bombástico, que Ciro (PDT) ou Alckmin (PSDB) chegue ao segundo turno. E que se Haddad (PT) e Bolsonaro (PSL) se confirmarem, nada está definido e tudo vai depender das alianças, apoios e das formas com que ambos conduzirão suas campanhas.


VOLTAR PARA O ESTADÃO