16.10.2018 | 06h35

PT total flex

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, admitiu que o partido pode flexibilizar o programa de governo em busca de alianças para constituir a anunciada (e até aqui frustrada) frente ampla em apoio a Fernando Haddad. Ainda assim, ela resiste à cobrança para que o partido faça um mea culpa. “É possível (formar uma frente suprapartidária) diante do quadro que estamos vivendo. Não dá para o PT pedir desculpas porque chegou ao segundo turno. Nós temos uma base social, o PT tem 30% dos votos deste País, isso é muito significativo. É uma força social. Pode ter críticas ao PT, é natural que tenha, somos uma organização humana, com todas as nossas falhas e com todos os avanços que tivemos”, afirmou.


VOLTAR PARA O ESTADÃO