01.08.2018 | 17h37

PSB não confiou no potencial de Ciro e preferiu se reforçar

Depois de ver naufragar a candidatura de Joaquim Barbosa, o PSB decidiu ser conservador e reduzir seus danos. Por isso, topou fechar um acordão com o PT e fortalecer os Estados que considera mais estratégicos para suas pretensões políticas. Pernambuco, Paraíba, Amapá e Amazonas ganharam apoio do PT em troca da neutralidade nacional do PSB.

Dirigentes do partido avaliaram que a candidatura de Ciro Gomes terá dificuldades para decolar, com ou sem apoio do PSB. Por isso, decidiram que era arriscado demais alinhar ao seu lado e deixar vulnerável a reeleição do governador de Pernambuco, Paulo Câmara, que poderia ser muito atrapalhado pela candidatura de Marília Arraes (PT). Sem perspectivas nacionais, o PSB preferiu tocar a bola de lado para evitar uma derrota. /M.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO