21.02.2019 | 12h26

Proposta não deve sair como entrou

“A proposta de reforma da Previdência do governo Bolsonaro foi entregue ao Congresso Nacional. Mas quase nada do que entra em sua porta sai intacto como lei, sem alteração significativa”, escreveu o Carlos Melo no Estadão.

De acordo com o colunista, que é cientista político, seguindo o pensamento político, não há incentivos para que o Congresso aprove integralmente a reforma da Previdência e dê ao governo autonomia e distanciamento em relação ao Legislativo e aos partidos.


VOLTAR PARA O ESTADÃO