25.11.2018 | 14h54

Propina para Renan rastreada pela PF

O senador reeleito Renan Calheiros (MDB-AL) tem a ambição de ser reconduzido à Presidência do Senado, que ocupou de 2013 a 2017. Mas as denúncias de corrupção contra ele não param de “pipocar” por aí. A última acusação contra Renan, segundo reportagem publicada pelo Globo neste domingo, 25, é ele ter ficado com um quinhão de uma propina de US$ 3 milhões que teria sido acertada por lobistas com políticos do MDB no Senado, em troca de contratos na Petrobras.

De acordo com a Polícia Federal, que fez o rastreamento do dinheiro, os depósitos foram feitos em contas bancárias na Suíça. O relatório final da PF traz detalhes sobre a engenharia financeira montada para o pagamento da propina e atribui a Renan o crime de corrupção passiva. Procurado pelo Globo, Renan, claro, negou o envolvimento no caso e disse que a acusação será rejeitada pela Justiça. / J.F.


VOLTAR PARA O ESTADÃO