16.11.2018 | 11h36

Propina em caixas de sabão para Aécio

O empresário Waldir Pena, dono de um supermercado em Belo Horizonte, revelou em depoimento sigiloso ter pago propina em dinheiro vivo dentro de caixas de sabão em pó entregues a Frederico Pacheco, primo de Aécio Neves, e a um assessor do senador Zezé Perrela. Os citados negam a acusação. O depoimento foi obtido pelo Globo.

As declarações foram dadas como corroboração da delação dos executivos da JBS e usadas na Operação Capitu. O depoimento foi dado à Receita Federal e enviado à Procuradoria-Geral da República (PGR), que investiga Aécio, e à Polícia Federal.


VOLTAR PARA O ESTADÃO