08.01.2019 | 16h07

Promoção do filho de Mourão desgasta governo

Jair Bolsonaro se elegeu com um discurso de moralização do governo e com o ode à meritocracia para se ascender dentro da máquina pública. Também orientou seus ministros a enxugarem suas pastas em nome dessa nova visão e para obter um melhor funcionamento da administração federal. Só que todo esse discurso cai por terra quando Antonio Mourão, filho do vice-presidente, general Hamilton Mourão, recebe uma promoção dentro do Banco do Brasil para ser assessor especial do presidente da instituição. E, claro, com um salário muito superior ao que ganhava dentro do banco.

Mesmo se sabendo que o filho do vice é funcionário de carreira do banco, a surpreendente e muito bem remunerada promoção, apenas uma semana depois da posse do novo governo, serve para dar munição aos adversários de Bolsonaro. O presidente ganhou a confiança de muitos dos eleitores justamente ao prometer que acabaria com o aparelhamento do Estado, ocorrido nos governos petistas, e que moralizaria a administração pública. A promoção de Antônio Mourão acaba expondo o próprio presidente desnecessariamente e desgastando seu governo. /M.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO