25.07.2018 | 15h39

Facebook tem 48 horas para explicar ‘censura’

O Ministério Público Federal em Goiás está cobrando, em caráter de urgência, explicações do Facebook sobre a retirada de 196 páginas do ar e 87 perfis, nesta quarta-feira, 25, incluindo contas ligadas ao MBL e ao Movimento Brasil 200, criado pelo empresário Flavio Rocha, ex-pré-candidato à Presidência pelo PRB. A justificativa do Facebook foi de que as páginas formariam uma suposta “rede de desinformação”, por meio de divulgação de fake news.

O procurador Ailton Benedito, que investiga o Facebook por censura e bloqueio de usuários no País, deu prazo de 48h para que a rede envie a relação de todas as páginas e perfis removidos e a justificativa específica para a exclusão de cada um. “As normas constitucionais e legais que regulam a internet no Brasil atuam sempre com vistas à liberdade de expressão, ao direito de acesso de todos à informação (…) e a impedir a censura, bem como a discriminação dos usuários, por motivo de origem, raça, sexo, cor, idade, orientação política, entre outros”, diz Benedito. / José Fucs



VOLTAR PARA O ESTADÃO