05.11.2018 | 17h42

Primeiro revés diplomático

A ideia do presidente eleito Jair Bolsonaro de transferir a Embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém já produziu um revés diplomático: o Egito adiou sem data uma visita oficial que o chanceler Aloysio Nunes faria ao país entre os dias 8 e 11 próximos. Vinte empresários brasileiros que já estão lá não serão recebidos, informa o Estadão. Tanto israelenses como palestinos reivindicam Jerusalém como capital.

O Egito adota uma linha moderada no conflito israelo-palestino e, historicamente, atua no sentido de tentar apaziguar os conflitos. Entre seus pares no mundo árabe, o Egito é um dos que têm boa relação com Israel. Os dois países têm, inclusive, uma cooperação na área de defesa.


Mais conteúdo sobre:

EgitoPalestinaIsrael
VOLTAR PARA O ESTADÃO