08.11.2018 | 06h27

Primeira ‘derrota’ de Bolsonaro

O aumento de salários do STF e do procurador-geral da República foi aprovado horas depois de o presidente eleito, Jair Bolsonaro, que estava em Brasília, dizer que “obviamente” não era o momento para conceder reajuste salarial. “Estamos em uma fase em que ou todo mundo tem ou ninguém tem. E o Judiciário é o mais bem aquinhoado”, afirmou.

Agora o texto vai à sanção do presidente Michel Temer. Resta saber se, nos estertores de seu governo, Temer, que enfrentará um encontro com o Judiciário quando perder as prerrogativas da função, terá coragem de vetá-lo. / V.M.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO